Quando se pensa em redes sociais, o que fala mais alto na memória são aquelas particularidades que já fazem parte da nossa rotina: as hashtags, compartilhamentos, status, páginas, amigos e seguidores… Enfim, estamos tão habituados, que já temos na ponta da língua quase tudo que se pode fazer nos nossos feeds e perfis. Mas o que há por trás disso tudo? Muita inteligência e elementos técnicos, principalmente! Como o EdgeRank, o algoritmo do Facebook, que participa muito mais do seu dia do que você pode imaginar. É dele que vamos falar hoje!

Já sei: bateu uma curiosidade, né? Então role a página e vem curtir e compartilhar o nosso artigo!

Como surgiram os Algoritmos?

Como toda plataforma de grande movimentação e com alto volume de usuários, o Facebook se tornou ativo comercial importantíssimo no contato de marcas com seus potenciais consumidores. Além de um canal de compartilhamento, a rede de Mark Zuckerberg tornou-se uma ponte de atração e captação de clientes, muitas vezes traduzindo-se no primeiro contato das marcas com o público.

E como todo serviço que ganha tal importância, o crescimento também exige o desenvolvimento de novas práticas e métodos que garantam a maior qualidade de entrega de conteúdo e relacionamento com os usuários, ditando como será o comportamento da plataforma nessa troca.

Assim surgiram os algoritmos.

O que é o EdgeRank?

O EdgeRank é uma aplicação de Inteligência Artificial que trabalha com base no aprendizado do tipo de conteúdo consumido pelos usuários e suas conexões do Facebook. Basicamente, ele aprende a identificar rotinas dos usuários e dos seus amigos e, com base nesse comportamento, decide que tipo de conteúdo será apresentado na timeline.

Todas as atividades de consumo de conteúdo do seu perfil e da sua página são registradas e analisadas pelo EdgeRank. Assim, a ferramenta “sabe” quais filtros fazer na hora de mostrar a você os conteúdos mais relevantes ao seu interesse e, claro, aos interesses dos anunciantes a plataforma.

Entre outras aplicações, um dos principais ganhos comerciais com a presença do EdgeRank é, sem dúvida, a possibilidade de segmentação dos usuários por perfis de interesse ou páginas seguidas. Isso, entre muitas outras possibilidades.

Como ele trabalha nos conteúdos do Facebook?

O EdgeRank atua como um curador. E as atividades como curtidas, comentários e compartilhamentos, além da interação dos seus amigos, funcionam como os métodos de pesquisa para que ele entenda o que melhor se encaixa ao seu perfil.

Partindo daí, os pilares da análise do EdgeRank tornaram-se práticas incentivadas pelo próprio Facebook, indicando os pontos mais relevantes na análise do algoritmo, que são três: afinidade, peso e depreciação.

  • Afinidade avalia o comportamento do usuário no seu relacionamento com uma página. Quanto mais você comenta, compartilha ou curte o conteúdo de uma marca, mais publicações dessa página você verá no feed. Nesse caso, o EdgeRank entende que você gosta daquele tipo de conteúdo e passa a entregar mais disso na sua timeline.
  • Peso se refere a níveis de envolvimento com publicações. Cada ação de engajamento possui importâncias diferentes na avaliação do EdgeRank. Um compartilhamento possui mais peso do que um comentário, que por sua vez, está acima da ação de curtida. Pode funcionar até como um “critério de desempate” entre as preferências do usuário e indicar qual tipo de conteúdo conta com maior aderência do público quanto ao engajamento.
  • Por fim, a depreciação analisa fatores temporais das ações dos usuários. Ou seja, publicações com atividades mais recentes possuirão maior relevância do que outras, com interações mais antigas. Assim, torna-se mais provável a exibição de uma publicação postada recentemente, com interações mais recentes, do que outras antigas com engajamento já reduzido.

Como otimizar conteúdos de acordo com as boas práticas do EdgeRank?

Resumindo, a importância do EdgeRank para as marcas está no fato de que o sistema determina o potencial de alcance das publicações. Neste caso, a qualidade do conteúdo e a popularidade da marca quanto ao engajamento com os seus usuários terão influência direta no alcance a cada vez mais pessoas, tanto em conteúdos distribuídos organicamente, como em ações pagas.

De modo geral, o conteúdo de uma página alcança, por padrão, apenas 6% da sua audiência total. Por isso, é importante incentivar o engajamento e interações na página, para ampliar as impressões e o alcance de novos conteúdos.

Produzir conteúdo relevante significa entender os interesses e a língua falada pelo público, causar interesse, cativá-los e, por fim, transformá-los em mais uma voz nesse grande mundo digital.

E aí, curtiu?

O que acha de começar a melhorar seu plano de conteúdo para alcançar mais pessoas? Lembre-se sempre de avaliar suas pautas e materiais sob o ponto de vista do público e pensar no que causaria mais interesse no seu cliente potencial.

Agora é só compartilhar esse artigo com os seus amigos, conferir nossas redes sociais e assinar nossa newsletter. Prometemos muito conteúdo relevante pra você!