Se você já ouviu a frase “O conteúdo é rei”, aí vai uma atualização, parafraseando Lee Odden: “O conteúdo não é rei, ele é o reino”. E, sim, nós acreditamos nisso. Tanto que estamos aqui, alimentando nosso blog, entregando dicas de qualidade para você e produzindo artigos sobre os principais interesses do nosso mercado. Sim, o conteúdo é rei.

E esse tal Marketing de Conteúdo chegou para trazer infinitas possibilidades à forma como nos comunicamos com nossos leads e, claro, à forma como atraímos novos leads para o nosso negócio. E hoje vamos falar de um fator muito importante justamente para manter a base de leads crescendo e com novas caras: como escolher palavras-chave para uma estratégia de sucesso.

Quer saber mais? É só seguir a leitura!

O que são palavras-chave e como elas impactam no SEO?

Vamos começar pelo começo. Você já sabe o que são as palavras-chave?

As palavras-chave – ou keywords – são termos compostos por uma ou mais palavras e que são utilizados pelos mecanismos de busca (como Google) como parâmetros para identificar e classificar os resultados disponíveis em seu catálogo durante uma pesquisa feita por um usuário. Elas são o principal instrumento para que estes mecanismos funcionem como o prometido.

A partir da palavra-chave buscada, o mecanismo sabe qual é a dúvida ou interesse do usuário e encontra páginas relacionadas, classificando por ordem de relevância: as mais qualificadas aparecem primeiro e, consequentemente, terão maior visibilidade e volume de acessos a partir da página de resultados.

E tudo isso faz parte dos métodos estudados e aplicados no SEO (Search Engine Optimization), que se resumem às práticas que devem ser adotadas para tornar um site mais relevante aos motores de busca ao longo do tempo.

E essa relevância será medida, principalmente, por fatores como organização da página, qualificação do conteúdo e, claro, um trabalho bem feito com as palavras-chave.

A primeira página é logo ali 🙂

Bom, agora, já sabemos que boas práticas de SEO aumentam consideravelmente as chances de um conteúdo ganhar posições e destaque nos resultados de buscas.

E, sim, isso é verdade. E reforçado por estatísticas que apontam os principais benefícios de um SEO bem posicionado. Uma pesquisa da imFORZA, por exemplo, aponta que 75% dos usuários não clicam em resultados posicionados após a primeira página do Google (quantas vezes você já avançou para a segunda página?) e, de acordo com a HubSpot, 34,36% dos cliques na primeira página ficam com o site que aparece no topo da lista.

Legal, né? Mais legal ainda é ver os resultados crescendo conforme a estratégia vai encaixando!

Claro, vale lembrar que os resultados com estratégias de conteúdo e SEO são vistos a médio e longo prazo. Então, nada de deixar de lado suas boas práticas se nos primeiros 30 dias você ainda não identificar as melhorias esperadas.

Faça ajustes constantes, mantenha uma rotina de publicação bem organizada e um conteúdo qualificado, que, com paciência, seus resultados chegarão. Utilize as primeiras semanas para fazer testes, entender quais tipos de conteúdo podem fazer mais sentido e, claro, tenha em mente assuntos e meios para enriquecer a entrega de conteúdos ao seu público.

Um ótima dica: busque referências (como nós fazemos por aqui)! Produzir bem depende – e muito – da variedade de informações e referenciais consumidos por quem produz. Busque benchmarks com players do seu mercado e também de outros nichos que já têm os resultados que você almeja e identifique o que pode ser aproveitado ou ajustado dentro da sua estratégia.

Tenha disciplina e foco, que a primeira página pode chegar antes mesmo do que você imagina.

Como escolher as melhores palavras-chave para a minha estratégia?

A resposta é simples: desenvolva métodos e conheça seu público. O difícil pode ser fazer acontecer.

Imagine que o seu produto é um Saas (Software as a Service) que atende a um público B2B. Você já sabe todas as necessidades que ele atende e, principalmente, problemas específicos para os quais o seu público quer buscar uma solução.

Além das referências, que você já passou a pesquisar após o tópico aqui de cima, uma coisa é indispensável para saber como escolher as melhores palavras-chave: conheça seu público, suas personas.

Busque sempre entender quais são as dores que mais o incomodam no dia a dia e que o fariam buscar por conteúdos como os que você está produzindo. Conhecendo o seu produto – que você já conhece muito bem – e sabendo quais são os interesses do target, fica mais fácil planejar meios e caminhos para entregar respostas às suas dúvidas.

Este texto, por exemplo, foi escrito por nós depois de identificarmos que o tema “palavras-chave” não somente tem a ver com o que vivemos aqui no Studio61, como também há a possibilidade de darmos boas respostas a você, que acessa o nosso blog.

O que fica de lição sobre o papel do SEO é: você até pode ganhar destaque na rede de pesquisa a partir das campanhas de mídia paga (que também são ótimas e sobre as quais vamos falar em breve por aqui), porém, com o esforço certo para produzir conteúdo, pode garantir acessos orgânicos, por meios que não exigem investimento, a médio e longo prazo. Isso significa menos despesas e mais relevância para o seu site, além de garantir um posicionamento de destaque mais duradouro.

As palavras certas nos lugares certos

Outra pergunta rápida: as imagens que você coloca no seu site aparecem nos motores de busca?

Sim, elas aparecem. E não dependem das keywords aplicadas apenas no texto que as acompanha: as imagens também podem ser adequadas ao SEO e têm atributos aos quais você deve dar atenção. Já vamos voltar a falar delas.

Continuando, é importante lembrar que o Google leva em conta uma série de fatores (hierarquizados) para entender do que se trata a página em questão e qual é a sua relevância: além do conteúdo em si – e da qualidade do mesmo -, são analisados fatores como URL, título da página, título de SEO, meta-descrição, tags de headings (principalmente H1 e H2), escaneabilidade, entre outros – inclusive mais técnicos, que vamos deixar para outro artigo – nos quais o mecanismo avalia a forma como são trabalhadas as palavras-chave, além da própria incidência da keyword e sinônimos da mesma ao longo do conteúdo.

Para as imagens, como falamos mais acima, dê atenção aos atributos de título da imagem e alt text (para casos mais específicos, fique de olho no tamanho em bytes da imagem, já que páginas com carregamento lento também ficam para trás na corrida do SEO).

Enfim, toda essa seleção de fatores é analisada pelo Google na hora de definir se uma página deve ou não ser mostrada nos resultados de busca e em que posição ela deve ficar, e o que vai determinar a qualidade dessa análise é a forma como as palavras-chave estão sendo utilizadas em cada um deles.

Ferramentas que podem te salvar

Nós sabemos também que é sempre importante ter uma ajudinha na hora de montar um planejamento. Felizmente, nas estratégias de SEO, essa ajuda em forma de ferramentas também existe!

Como aqui gostamos de falar de ferramentas de marketing digital e coisas que podem te ajudar no dia a dia, vamos citar algumas que podem te salvar na hora de escolher palavras-chave:

  • Google Trends: ferramenta do Google que retorna dados de busca como volume, keywords relacionadas e até locais de maior incidência para as palavras-chave mais pesquisadas na ferramenta.
  • SEMRush: ferramenta de relatórios bastante robusta (nos planos pagos), permite uma varredura completa do status do domínio em relação aos elementos de SEO, além de pesquisas que mostram os principais dados de acessos de palavras-chave e até a forma como os concorrentes estão posicionados.
  • MOZ: mais uma ferramenta que permite fazer uma auditoria de SEO, mas focada sobre relatórios e insights para rankeamento nos sistemas de busca e pesquisa sobre estruturas de SEO como backlinks e volume de buscas.
  • SEO Analyzer: também conhecido como Ubersuggest, é um ambiente web assinado pelo guru Neil Patel que, em alguns passos simples, entrega um relatório detalhado sobre a saúde do site em termos de SEO, fornecendo insights sobre correções que precisam ser feitas.

E tem muito mais! Prometemos trazer um artigo falando apenas sobre essas ferramentas em breve!

E fim…

Por hoje é só! Mas, claro, agora é hora de pegar as nossas dicas e botar a mão na massa. Lembre-se que o seu site é o seu cartão de visitas online e merece bastante atenção (além de ser entregue pra muita gente!).

Conte também com a nossa ajuda, seja assinando nossa newsletter, para receber nossas principais dicas no seu email, ou marcando um bate-papo.

E fique de olho no nosso blog para acompanhar as atualizações semanais que fazemos por lá.