Se uma imagem vale mais que mil palavras, criar a identidade visual de uma marca é fundamental para qualquer negócio, uma vez que esses elementos de branding são o meio de transmitir a personalidade e a mensagem desejada de uma marca ao seu público de diversas maneiras. 

Sabemos que esta não é uma tarefa simples, por isso, para ajudar você que quer criar sua própria identidade visual, mas ainda não sabe por onde começar, reunimos aqui alguns elementos que não podem faltar neste processo. Continue a leitura e dê já o primeiro passo!

Por onde começar?

Antes de tudo, é preciso definir com qual público sua marca quer se relacionar, afinal, toda a comunicação será criada com o objetivo de atingir um receptor, provocando identificação e interesse.

Sendo assim, é válido reforçar que a identidade visual não deve refletir apenas seus gostos pessoais, mas ser pensada para atingir os receptores da mensagem, ou seja, sua persona. Aliás, temos um artigo específico sobre esse assunto, que pode ajudar você nessa definição. Clique aqui para conferir.

Com esta parte pronta, chegou a hora de colocar a mão na massa! Confira abaixo cinco elementos que não podem faltar na criação de sua identidade visual.

1º elemento: família cromática

Muito popular no universo do design gráfico, a família cromática se refere às cores que serão utilizadas na comunicação e farão parte da identidade da sua marca.

Nesta etapa, é fundamental estudar a teoria das cores para entender o que cada uma delas representa e as sensações que provoca. Dois livros bastante relevantes sobre este assunto são Psicologia das cores, de  Eva Heller, e Psicodinâmica das Cores em Comunicação, de Modesto Farina, Clotilde Perez e Dorinho Bastos. As duas obras abordam a relação das cores com as percepções humanas e como elas exercem influências sobre nós.

Perceba, por exemplo, como a cor vermelha é utilizada por diversas empresas do setor alimentício. Isso acontece porque, além de remeter a algo quente como a comida, esta cor funciona como um estimulante mental, causando o senso de urgência como a necessidade de alimentar-se.

Para entender melhor esta associação, na imagem abaixo você pode observar quais emoções estão relacionadas a cada cor e as marcas que as utilizaram ao criar sua identidade visual.

2º elemento: família tipográfica

Além das cores, a tipografia (mais conhecida como fonte) é muito importante para criar uma identidade visual, afinal ela aparecerá em seu logotipos, em textos e diversas peças de comunicação. Estão entre as principais categorias de tipografia:

Tipografia com serifa: estas fontes têm pequenas linhas nas extremidades das letras e números, fazendo com que as letras sejam identificadas mais rapidamente. Este estilo transmite tradição, confiança e seriedade. A Canon é um das marcas que utiliza este estilo em seu logotipo.

Tipografia sem serifa: ao contrário da tipografia anterior, neste estilo as letras e os números não levam prolongamentos nas hastes, o que transparece uma imagem mais simples e moderna. Esta tipografia é utilizada no logotipo da Google, por exemplo.

Studio61 - criar identidade visual - logotipo sem serifa

Tipografia cursiva: é aquela que imita a letra manual e, por isso, transmite uma sensação mais humanitária, artesanal e simpática. Uma das empresas que utiliza uma tipografia cursiva inconfundível é a Coca-Cola.

Studio61 - criar identidade visual: tipografia cursivaTipografia display: neste estilo, as letras são desenhadas e únicas. A imagem propagada é de descontração, portanto, deve ser utilizada por empresas que querem passar uma imagem mais informal ao público, como a Disney.

Qual desses estilos tem mais a ver com seu negócio? Lembre-se que é sempre necessário compreender com quem você vai se comunicar e a imagem que você seja passar ao seu público antes de definir este e os outros aspectos. Além disso, note que, em sua identidade visual, as marcas utilizam tipografias próprias para títulos, para textos e logotipo e, muitas vezes, elas são diferentes entre si.

3º elemento: marca

Entre os elementos mais importantes que formam identidades visuais está a marca, um termo muito falado no mundo do design, que significa o conjunto formado por um símbolo e logotipo. A seguir, vamos explicar melhor cada um destes itens utilizando a marca Red Bull.

Logotipo: como o nome sugere, logotipo diz respeito à tipografia, podendo ser definido como a forma individual e diferenciada de registro do nome de uma empresa. Na imagem abaixo, observe o logotipo da Red Bull.

Studio61 - Criar Identidade Visual: logotipo Red Bull

Quer saber mais sobre o assunto? Este artigo pode ajudar você no desenvolvimento de logotipos.

Símbolo/Signo: outro componente da marca é o símbolo (ou signo), que representa o sinal gráfico que substitui o nome de uma empresa, sendo outra maneira de identificá-la e, por isso, carrega em si um grande significado. Fazer pesquisas sobre design gráfico e estudar semiótica, a ciência dos símbolos, são etapas essenciais que irão facilitar muito este processo de criação.

Lembramos que, embora a utilização deste elemento seja comum, nem toda empresa tem, obrigatoriamente, um símbolo em sua marca.

Abaixo você pode conferir o símbolo utilizado pela Red Bull, que significa “touro vermelho” na língua inglesa.

Marca: como falamos anteriormente, marca é o conjunto formado pelo logotipo e o símbolo de uma instituição. Sendo assim, a imagem abaixo representa a marca Red Bull.

Studio61 - Criar Identidade Visual: marca Red Bull

E aí, a diferença entre estes termos ficou mais clara agora? Vamos, então, ao próximo elemento!

4º elemento: iconografia

A definição de ícones também é uma etapa necessária, pois eles provavelmente aparecerão no seu site e em diversas peças on e offline. 

Analisando a imagem abaixo é fácil notar de qual empresa estes ícones se referem, não é mesmo? Isso acontece porque a Google trabalha este -e outros- itens muito bem, reforçando as cores da marca, além de diversos outros elementos de sua identidade visual, fazendo com que estes símbolos tenham o mesmo padrão e sejam reconhecidos com facilidade.

Para entender mais sobre este assunto, indicamos este curso de introdução ao design de ícones.

5º elemento: estilo fotográfico 

Como o nome já diz, estilo fotográfico é a forma, os critérios e as estruturas que as fotografias utilizadas por uma marca devem seguir. 

Vamos a um exemplo: em seu manual de marca, a empresa de telefonia Oi define que seu estilo fotográfico deve ser sempre alegre e caloroso e ter como inspiração a vida real do consumidor. Além disso, determina-se que suas características devem ser: proximidade e intimidade, simplicidade no contexto e momento da vida real.

Veja agora, na peça publicitária abaixo, como esses fatores foram levados em consideração na escolha da fotografia, refletindo, assim, a identidade visual adotada pela empresa. 

Para conferir mais sobre este e outros aspectos da comunicação da Oi, acesse aqui seu brandbook completo.

Mãos à obra!

Sabemos que criar a identidade visual de uma marca ou fazer seu rebranding envolve diversos aspectos além dos mencionados, mas esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a tirar o projeto do papel e dar os primeiros passos.

Caso precise de uma mãozinha, conte com a gente! Branding e design gráfico são as nossas paixões e criar identidades visuais autênticas é uma de nossas especialidades. Também não deixe de seguir nosso perfil no Instagram e no Behance para conferir nossos projetos e acompanhar futuros trabalhos. Até a próxima!